Como o 5G vai mudar a vida das cidades portuguesas

Tal como os telefones se transformaram em smartphones, o 5G vai transformar as cidades em que vivemos em smart cities. O que vai mudar? Quase tudo. Eis o relato de um futuro que está prestes a chegar.

Nos anos 60 do século passado, a série de desenhos animados Os Jetsons — lembra-se? — fez uma série de previsões futuristas inadvertidamente acertadas. Falhou nos carros voadores que se guardavam dobrados numa mala e nas torres de apartamentos que rasgavam a estratosfera mas acertou em cheio numa série de objetos e possibilidades tecnológicas que hoje são uma realidade: robôs-aspiradores, relógios que fazem chamadas, despertadores que falam, hologramas, drones, jetpacks e comida instantânea.

O que Os Jetsons não previram, contudo, foi a forma como as inovações tecnológicas poderiam ser postas ao serviço das cidades e não apenas dos indivíduos que nela habitam. É o que acontece com o 5G — a última geração de rede móvel, que vai permitir velocidades de transferência na ordem dos 10Gbps (gigabytes por segundo). Para se ter uma referência, a chamada 1G, primeira geração de rede móvel, criada há 40 anos, operava a uma velocidade máxima de 2,4kbps (kilobytes por segundo). Ora, se em cada gigabyte há mil megabytes e em cada megabyte existem mil kilobytes, como disse um dia o então primeiro-ministro António Guterres: é fazer as contas.

As velocidades estonteantes e a baixíssima latência (o tempo entre o envio e a recepção da informação) do 5G não nos vão permitir apenas descarregar filmes inteiros em fracções de segundo ou ver vídeos, transmissões em directo e ouvir álbuns em streaming sem sentir quaisquer quebras. Também, mas não só. O que o 5G vai permitir — e essa é que é a grande novidade — é que as cidades cobertas pela rede passem pela mesma transformação digital que muitas empresas e casas residenciais já passaram ou estão a passar, tornando-se verdadeiras smart cities.

Como o 5G vai mudar a vida das cidades portuguesas was last updated Julho 31st, 2019 by APWPortugal
« Voltar ao Notícias