ANACOM defende hipótese de partilha da rede no leilão de frequências 5G

Embora ainda não tenha sido tomada alguma decisão final, a entidade reguladora das telecomunicações avança que poderão ser estudadas condições para a partilha de infraestruturas ou coinvestimento por parte das operadoras.
O leilão de frequências 5G em Portugal, previsto para abril de 2020, contará com um “recorde” de espetro a ser leiloado, afirmou João Cadete de Matos, presidente da ANACOM. O responsável admitiu, num encontro com jornalistas a 9 de janeiro, a possibilidade de serem estudadas condições no leilão que incentivem a partilha de infraestruturas ou coinvestimento por parte das operadoras.

“O coinvestimento seja de empresas ou de soluções de investimento grossistas faz todo o sentido e é bom que aconteça”, afirmou João Cadete de Matos. De acordo com o presidente da ANACOM, a questão do 5G tem levantado alguma controvérsia em Portugal, mas no caso de um setor em que “a rendibilidade das comunicações também terá de evoluir e terá de se ajustar à procura (…), torna-se essencial ver as virtudes ou de opções partilhadas ou de opções de utilizações grossistas”, salientou à Lusa.

ANACOM defende hipótese de partilha da rede no leilão de frequências 5G was last updated Janeiro 20th, 2020 by APWPortugal
« Voltar ao Notícias